Giro MyNews | Aneel, guerra comercial e futuro do Ministério do Trabalho

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Confira as principais notícias da manhã desta segunda-feira (03)

  • Em entrevista à Rádio Gaúcha, Onyx Lorenzoni afirmou que o Ministério do Trabalho será desmembrado no novo governo. De acordo com o ministro extraordinário para a transição e futuro chefe da Casa Civil, “ele ficará uma parte no ministério do doutor Moro, outra parte com Osmar Terra e outra parte com Paulo Guedes”. Estes comandarão, respectivamente, as pastas da Justiça e Segurança Pública, Cidadania e Economia do governo Jair Bolsonaro.

 

  • Resultado de conversas durante a reunião do G20, que teve a Argentina como sede nesta edição, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que o governo chinês concordou em reduzir as tarifas de importação de veículos norte-americanos. Atualmente, cobranças de Pequim pelo produto chegam a até 40%. Este é um dos resultados do encontro de Trump com Xi Jinping, presidente da China, no qual as lideranças concordaram em uma trégua na guerra comercial.

 

  • Por recomendação médica, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, precisou cancelar a viagem que faria hoje à Espanha para conversar com investidores do país europeu sobre a nova agência econômica do próximo governo. Segundo a assessoria de imprensa do governo de transição, o economista precisou adiar o encontro devido a uma infecção viral nas vias respiratórias. A recomendação médica é de absoluto repouso e desaconselhou viagens de avião durante esta semana.

 

  • Durante a Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP24) deste ano, o Banco Mundial anunciou um investimento de US$ 200 bilhões com o objetivo de “apoiar países a tomarem ações climáticas ambiciosas”. O montante deverá ser repassado aos países comprometidos com a causa entre os anos de 2021 e 2025. Metade do valor anunciado será fornecido, enquanto o restante será originado de um financiamento combinado e de capital privado mobilizado pela entidade internacional.

 

  • Nome de Elisa Bastos Silva para substituir Tiago de Barros Correia na diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é publicado no “Diário Oficial da União”. Indicação da analista de sistemas, que atua em comissão na Assessoria de Assuntos Econômicos do Ministério de Minas e Energia, foi aprovado para o cargo pela Comissão de Infraestrutura do Senado Federal no dia 27 do último mês.

LEIATAMBÉM