Giro MyNews | Assassinato em SP, guerra comercial e post de Bolsonaro

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Confira as principais notícias da manhã desta sexta-feira (02)

  • Caio Rodrigo Medina Vaz Amancio, motorista de Uber de 24 anos, foi baleado na cabeça pelo cabo Ribeiro de Souza, da Polícia Militar, em um bairro da zona sul de São Paulo. O policial afirmou à Polícia Civil que o disparo foi acidental. Ele foi detido em flagrante, mas pagou uma fiança de R$ 1.000,00 e foi liberado. A Corregedoria investiga o caso.

 

  • Estados Unidos e China demonstram otimismo na busca de uma resolução a respeito da guerra comercial entre os dois países. Movimentação ocorre após uma conversa entre os presidentes norte-americano Donald Trump e o chinês Xi Jinping. Notícia promoveu uma forte alta no mercado do país asiático, impulsionada pelo aceno ao diálogo entre as duas potências comerciais. O dólar também recuou nesta sexta-feira (02).

 

  • Em publicação no Twitter, Jair Bolsonaro (PSL) responde a matéria do jornal O Globo que aponta conversas de “equipe” sobre plano de recriar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) a fim de financiar a Previdência. “Desautorizo informações prestadas junto à mídia por qualquer grupo intitulado ‘equipe de Bolsonaro’, especulando sobre os mais variados assuntos, tais como CPMF, Previdência etc”, escreveu o presidente eleito.

 

  • Assessor do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, Yasin Aktay confirma que o corpo do jornalista Jamal Khashoggi, assassinado dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul, foi esquartejado e dissolvido. Declaração foi publicada pelo jornal turco “Hürriyet”, que entrevistou Aktay. “Queriam assegurar que não ficaria nenhum rastro do corpo. Todos os locais para os quais nos levam as câmeras de segurança foram examinados e não encontramos o cadáver”, afirmou o assessor.

 

  • Questionário “Sintonia Eleitoral”, oferecido pelo portal de notícias G1 durante o período eleitoral, aponta que para 78% dos brasileiros a Operação Lava Jato contribui efetivamente para combater a corrupção no Brasil. Entre os eleitores de Jair Bolsonaro (PSL), 83% das pessoas têm essa opinião. Resultados foram extraídos de respostas fornecidas por 496.038 pessoas.

LEIATAMBÉM