Giro MyNews | Desligamento de radialista, futuro da astronomia brasileira e o caso Khashoggi

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Confira alguns dos assuntos mais comentados na manhã desta terça-feira (23)

  • Juremir Machado, radialista que integra a mesa do programa “Bom Dia”, da Rádio Guaíba, pediu desligamento ao vivo após entrevista do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com Rogério Mendelski, apresentador do programa, uma das exigências do candidato para participar foi que apenas o próprio Mendelski realizasse os questionamentos, além de conduzir a conversa. Juremir afirmou ter se sentido “humilhado” por não ter direcionado questões ao candidato e agradeceu a audiência pelos 10 anos de programa antes de deixar o estúdio.

 

  • Segundo a emissora britânica Sky News, partes do corpo do jornalista saudita Jamal Khashoggi, desaparecido após entrar no consulado de seu país na Turquia, teriam sido encontradas no jardim da residência do cônsul da Arábia Saudita em Istambul. As fontes anônimas afirmaram ainda que Khashoggi apresentava cortes e o rosto desfigurado. Nesta manhã, o presidente turco Recep Erdogan disse que as investigações apontam que o jornalista foi assassinado de foram “atroz e violenta”.

 

  • Após ser dado como foragido desde semana passada, o presidente nacional do PROS, Euripedes Júnior, se apresentou à Polícia Federal em Brasília. Ele é um dos investigados na Operação Partialis, que apura desvios de recursos públicos destinados à saúde no Pará. Devido às eleições, o líder do PROS não foi detido nem prestou depoimento pois, segundo o Código Eleitoral, nenhum eleitor pode ser preso a partir de cinco dias antes ou dois dias depois da ida da população às urnas. O canso não se aplica apenas em caso de flagrante ou por condenação de crime inafiançável.

 

  • Estudantes brasileiros conquistam o 1º lugar no quadro geral de medalhas da 10ª Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), realizada em Ayolas, no Paraguai. Os jovens Caio Nascimento Balreira, Katarine Emanuela Klitzke, Luã de Souza Santos e Vinícius Rodrigues de Freitas levaram o ouro, enquanto Gabriel Gandra conquistou uma medalha de prata. Com o resultado, o Brasil se tornou o maior medalhista da história da competição, com 30 ouros, 16 pratas e 4 bronzes.

 

  • Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou nesta terça-feira (23) decisão contrária à França no caso de duas mulheres que foram multadas em 2012 por utilizarem em público o niqad, véu islâmico que deixa à mostra apenas os olhos. Uma lei que proíbe o uso de vestimentas e acessórios que escondam o rosto no país entrou em vigor em 2010. A multa para quem infringir a proibição é de 150 euros, o equivalente a R$ 635, ou aulas sobre a civilização francesa.

LEIATAMBÉM