Giro MyNews | Ghosn destituído, greve na Argentina e novo ministro

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Confira as notícias mais relevantes da manhã desta segunda-feira (26)

  • Por meio do Twitter, o presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou o General-de-Divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz para chefiar a Secretaria de Governo. Devido à experiência de participar em missões de paz no Haiti e na República Democrática do Congo, o militar de 66 anos trabalhou como consultor da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele substituirá o ministro Carlos Marun à frente da pasta, que ainda não teve o status de ministério garantido.

 

  • Carlos Ghosn foi afastado do cargo de presidente do Conselho de Administração da montadora Mitsubishi. O executivo brasileiro será substituído pelo CEO da companhia, Osamu Masuko, que assumirá temporariamente a função. Líder da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, Ghosn foi detido no Japão por suspeita de fraude fiscal e sonegação.

 

  • Funcionários da companhia aérea Aerolíneas Argentinas entraram em greve geral. Paralisação fez com que todos os 371 voos nacionais e internacionais da estatal programados para esta segunda-feira fossem cancelados. Mais de 40 mil passageiros foram afetados pela greve. Sindicatos de funcionários de terra, operadores de torres de controle e pilotos reivindicam aumento de 15% relacionado à previsão da inflação para 2018 acordado no início do ano. O índice, no entanto, tem expectativa para terminar o ano em 40%

 

  • Sergio Schiller Thompson-Flores, ex-diplomata suspeito de agredir a atriz e esposa Cristiane Machado, se entregou à 28ª Delegacia de Polícia (DP) do Rio de Janeiro, localizada no bairro do Campinho, zona norte da cidade. Caso teve grande repercussão após Cristiane divulgar registros em vídeo do momento das agressões sofridas pelo marido. A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que Thompson-Flores se apresentou na noite deste domingo (25).

 

  • No âmbito da Operação Badour, a Polícia Federal cumpriu seis mandados de busca e apreensão, além de quatro mandados de prisão temporária, por suspeita de fraude em fundo previdenciário em São Paulo. Valor do prejuízo causado pelo crime é estimado dem R$ 170 milhões. Entre os detidos está a vereadora Elian Santana (Solidariedade), de Santo André, no interior do estado, por suspeita de comandar o grupo.

LEIATAMBÉM