Giro MyNews | Internação de Ciro, 55ª fase da Lava Jato e polêmica sobre ex-mulher de Bolsonaro

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Confira as principais notícias da manhã desta quarta-feira (26)

  • A bruxa anda solta nessa corrida presidencial. O candidato Ciro Gomes (PDT) passou a noite internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após sentir um desconforto na região pélvica. Exames constataram a necessidade de procedimento na próstata. Gomes deve receber alta ainda nesta quarta (26) e sua presença no debate entre presidenciáveis no fim desta tarde segue confirmada.

 

  • Telegrama arquivado no Itamaraty aponta que Ana Cristina Valle, ex-mulher do candidato Jair Bolsonaro (PSL), afirmava ter sofrido ameaça de morte do político. Segundo o documento de 2011, Ana Cristina viajou à Noruega por medo do deputado, com quem travava uma disputa judicial no Rio de Janeiro sobre a guarda do filho do casal, com 12 anos à época. Atualmente, a ex-servidora da Câmara Municipal de Resende (RJ) usa o sobrenome “Bolsonaro”, é candidata a deputada federal pelo Podemos e nega ter sofrido ameaças.

 

  • De olho nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020, a capital japonesa Tóquio abriu as inscrições para o programa de trabalho voluntário. Os organizadores esperam contar com cerca de 80 mil pessoas nas mais variadas funções. “Os voluntários serão uma parte essencial do sucesso dos Jogos”, afirmou o porta-voz do evento.

 

  • Na 55ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta manhã pela Polícia Federal, Pepe Richa, irmão do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), e outras 14 pessoas foram presas. Luiz Abi Antoun, primo do político, também é um dos alvos, mas não foi detido por estar no exterior. No total, foram expedidos 73 mandados de busca e apreensão, 3 de prisão preventiva e 16 de prisão temporária.

 

  • Em discurso no Conselho de Segurança da ONU, Donald Trump, declarou que os EUA não permitirão que o Irã tenha bombas nucleares. O presidente norte-americano também afirmou que as sanções ao governo Hassan Rohani serão “mais duras do que nunca”. Trump também acusou o Irã de incentivar a guerra na Síria e de patrocinar o terrorismo na região.

LEIATAMBÉM