Pelo Twitter, Trump diz aguardar por nova cúpula com Putin

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Nesta quinta-feira (19), o presidente norte-americano Donald Trump afirmou que aguarda “ansiosamente” pela segunda reunião com o presidente russo Vladimir Putin.

Vladimir Putin e Donald Trump respondem às questões dos jornalistas após reunião. (Foto Kremlin)

Declaração, feita através do Twitter, também celebra o “grande sucesso” da cúpula realizada entre os líderes na última segunda-feira (16) em Helsinque, na Finlândia. Segundo Trump, a próxima conversa será para “implementar” medidas a alguns dos tópicos discutidos, como combate ao terrorismo, a paz no Oriente Médio, a situação da Coreia do Norte e a segurança de Israel.

O presidente dos Estados Unidos também aproveitou para atacar o que ele chamou de “Fake News Media“, ou ‘mídia das notícias falsas’.

Influência russa nas eleições

Críticas relacionadas à cúpula dessa semana vieram por todos os lados. Em entrevista conjunta, Trump disse que não acreditava em interferência russas nas eleições de 2016, da qual saiu vitorioso.

O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump. (Foto Kremlin)

Afirmação contraria investigações das agências de inteligência do país, que indicam persistência na tentativa dos russos de influenciarem a política norte-americana. Muitos acreditam que nova tentativa de interferência pode ocorrer durante as eleições legislativas deste ano.

Não apenas os veículos de imprensa, mas membros do próprio Partido Republicano, ao qual Trump é ligado, receberam mal as respostas sobre o tópico.

Recuo de Trump

Após reunir jornalistas na Casa Branca, o presidente norte-americano voltou atrás e disse ter se expressado mal. O que teria pretendido dizer é que “não tinha porque a Rússia não ser culpada”.

O presidente russo Vladimir Putin. (Foto: Kremlin)

Além desse cenário, Trump também tentou reparar o mal estar causado com as agências de inteligência. Considerando as conclusões dessas agências, ele afirmou acreditar na influência russa, embora tenha negado que ela tenha sido sentida no resultado final do pleito.

LEIATAMBÉM