Artilharia pesada: Marta, Previdência e armas

Mitchel Diniz e Gabriela Lisbôa abrem a edição de hoje do jornal comentando o feito da jogadora Marta. Durante partida contra a Itália, a atacante alcançou o posto de maior artilheira da história das Copas do Mundo. E a marca diz respeito ao futebol feminino e masculino, viu? Ela superou a marca de 16 gols, que antes era do alemão Miroslav Klose.

A sessão agitada da reforma da Previdência na CCJ da Câmara foi acompanhada por Carolina Rizzo, diretamente de Brasília. Ao total, 155 deputados estavam inscritos para falar. Com o objetivo de seguir o calendário do governo, a base aliada quer agilizar a discussão para dar andamento à tramitação da reforma. Mas qual será o “preço” dessa agilidade? Confira as discussões da Câmara em relação ao BPC, estados e municípios, etc.

Enquanto isso, o BNDES também está em destaque no Congresso. Vice-presidente da Associação dos Funcionário do BNDES, Arthur Koblitz fala do receio de uma “caça às bruxas” no banco depois da demissão de Joaquim Levy. Na sequência, ele questiona o que seria a tão falada “caixa-preta” do BNDES. De acordo com Koblitz, os maiores especialistas atestam a transparência do banco. Além do tema, o Senado pode derrubar o decreto das armas, assunto que também foi discutido na CCJ com o ministro Onyx Lorenzoni.

Por fim, o lançamento de uma nova moeda virtual pelo Facebook, mas que está sendo financiada por 12 empresas, esteve em pauta. A nova moeda chama-se Libra e sobre isso ouvimos Safiri Felix, especialista em criptomoedas.