O porteiro de Bolsonaro mentiu, diz promotora. E agora?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O motorista do carro que conduziu o provável assassino da vereadora Marielle Franco entrou no condomínio do presidente Jair Bolsonaro. Segundo informações, ele teria entrado com uma autorização do próprio presidente. Aí uma promotora do Gaeco diz que o porteiro – fonte da informação – mentiu. A história ainda está mal contada e cercada de dúvidas. Nesta Coluna, Joel Pinheiro sugere: apesar de não haver qualquer indício do envolvimento de Bolsonaro com o assassinato de Marielle, não podemos deixar de investigar a relação próxima da família do presidente com milicianos.

LEIATAMBÉM