Cartão vermelho pra homofobia no Brasileirão

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Nesta #ColunaDoTaves, Ricardo Taves comenta a polêmica sobre gritos homofóbicos da torcida no Campeonato Brasileiro e a mudança de comportamento da arbitragem como fato. No último domingo, o árbitro Anderson Daronco paralisou a partida entre Vasco da Gama e São Paulo, aos 19 minutos do segundo tempo, quando a torcida vascaína passou a entoar cantos homofóbicos. Daronco só retomou o jogo quando os gritos pararam. É a primeira vez que isso acontece no Brasileirão, após nova recomendação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) . Portanto, a partir de agora, as manifestações homofóbicas nos estádios poderão render punições aos clubes. Para “sanar” a questão, a entidade sugere que os times façam campanhas educativas junto aos torcedores e atletas. Será que homofobia vai levar um cartão vermelho e ser expulsa dos estádios? Afinal, os clubes estão preparados para fazer essa ação educativa com torcedores?

 

LEIATAMBÉM