colunista Juliana Braga
Jornalista do MyNews
CPI da Covid

Depois de visita de Onyx, senadores não descartam condução coercitiva para Pazuello

Senadores veem manobra em desculpa para adiar depoimento à CPI e afirmam que Pazuello está complicando sua situação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A última trapalhada do governo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia deixou os senadores de oposição tão irritados que trouxe à mesa uma carta até então fora do baralho: a condução coercitiva do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. O militar pediu o adiamento do seu depoimento à CPI por ter tido contato com duas pessoas contaminadas pelo coronavírus, mas reuniu-se ontem com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni.

Ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.
Ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello. Foto: Carolina Antunes (PR).

O encontro foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo e anunciado na CPI pelo vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Ele quer exigir a apresentação de um exame de covid do militar. Outros senadores do chamado G7, o grupo majoritário da CPI, chegaram a cogitar a possibilidade de condução coercitiva caso Pazuello volte a tentar adiar sua oitiva. As chances de ele usar essa carta novamente e de os senadores partirem para alternativas mais drásticas, no entanto, é bem baixa.

A trapalhada irritou também os senadores alinhados ao presidente Jair Bolsonaro. Para eles, esse tipo de confusão atrapalha ainda mais a conturbada defesa do governo no colegiado.

A pauta foi tema do programa ‘Café do MyNews‘ desta sexta-feira (07), apresentado pela jornalista Juliana Braga.
Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Eleições 2022
Em evento no Pará na última sexta-feira, Bolsonaro exibiu camiseta com menção à disputa em 2022
CPI DA PANDEMIA
Relator divulgou lista com 14 nomes; inclui Wizard, Wajngarten, Capitã Cloroquina
Entrevista
Ex-senador afirma ter sido vítima de uma “verdadeira aberração jurídica”
2022
Renato Pereira, contratado por Freixo, fez delação premiada que baseou denúncia contra prefeito do Rio
Privatização
Em corrida contra o tempo, Arthur Lira marcou para segunda (21) votação da MP, que vence na terça
PRIVATIZAÇÃO
Projeto que permite privatização da Eletrobras volta para Câmara. MP perde validade na terça se não for aprovada

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.