colunista Juliana Braga
Jornalista do MyNews
EXCLUSIVO

TSE mantém carta na manga para cassar Bolsonaro

Inquérito das Fake News tem indícios de que os financiadores da campanha do presidente patrocinam sites de notícias falsas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Tribunal Superior Eleitoral guarda na gaveta dois processos que podem servir como “saída de emergência” caso os ministros avaliem como inadministrável a situação de Jair Bolsonaro na Presidência da República. A bala de prata seriam elementos já em posse do Supremo Tribunal Federal, no inquérito das Fake News, que apontam a coincidência de financiadores dos sites de notícias falsas e da campanha presidencial de 2018.

Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante campanha publicitária do governo.
Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante campanha publicitária do governo. Foto: Palácio do Planalto (Flickr).

Depois das eleições, 15 processos foram abertos questionando a chapa do presidente Jair Bolsonaro. Desses, 13 já foram arquivados, permanecendo apenas dois em aberto. Em um deles, relatado pelo ministro Og Fernandes, já foi autorizado o envio das provas do inquérito das Fake News. Os dois não retornarão à pauta tão cedo.

Fontes do TSE afirmam que ficarão pendentes para serem usados, se necessário. Podem ser levados a julgamento se, em algum momento, os conflitos se escalem numa proporção incontrolável, os atos antidemocráticos se acirrem ou haja uma crise institucional incontornável. Essa seria uma saída de emergência.

A opção, no entanto, seria usada somente em última instância. Ministros avaliam que a saída de um presidente só deve ser patrocinada quando não houver soluções alternativas. Para eles, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, por exemplo, deixou fissuras no país. Mas eles não vão abrir mão de ter a carta na manga.

Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Entrave
Paulo Roberto Almeida questiona as chances de um acordo entre o bloco europeu e o Mercosul na atual conjuntura
Pandemia
Edinho Silva diz que, sem vacina, restringir a circulação de pessoas é o único caminho para deter a covid-19
Quarta Chamada
Ex-presidenciável afirma que frente ampla não necessariamente significa uma candidatura única no primeiro turno
LULA ELEGÍVEL?
Os 11 ministros vão analisar recursos sobre a decisão de Fachin que anulou condenações do ex-presidente
Diplomacia
Luiz Fernando Serra defende tese bolsonarista de suposto “tratamento precoce” e critica a imprensa
Crime organizado
Vereador já foi citado em estudo sobre grupos paramilitares e seu pai, ex-deputado estadual, pode ter sido líder da Liga da Justiça

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.