Atrasos

Governo federal ainda não tem Orçamento para 2021; entenda as implicações

Com o Congresso em recesso e voltado para eleições internas, tema deve ser discutido só em fevereiro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
12 de janeiro de 2021
Congresso Nacional, em Brasília
Congresso Nacional, em Brasília. Governo entra em 2021 sem Orçamento aprovado, que só deve ser debatido em fevereiro.
(Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O Governo Federal começou o ano de 2021 sem um orçamento aprovado pelo Congresso Nacional e sem previsão para que o assunto entre na pauta. As duas casas estão voltadas para a articulação em torno das eleições para a presidência da Câmara e do Senado. 

O ano virou, os parlamentares entraram no recesso e o orçamento anual ficou para ser discutido somente em fevereiro. O projeto define quais as despesas do governo para o ano – incluindo as verbas para os ministérios – e projeta as receitas que entram no caixa. 

O economista Matheus Rosa, do FGV-Ibre, explica que isso não deve impedir o governo de realizar pagamentos, como o salário dos funcionários públicos.

“Eu imagino que as pessoas se preocupem, será que o salário de quem é funcionário público vai cair? Essas despesas, as despesas obrigatórias do governo, elas vão continuar sendo executadas de forma normal, assim como as despesas consideradas inadiáveis”, disse ele, em participação no Dinheiro na Conta de segunda-feira (11).

De acordo com o economista, as despesas que sofrem maiores consequências são as despesas de capital, como investimentos adiáveis que vão ter que aguardar a aprovação do orçamento.

Mais atrasos

Esta não é a primeira vez que o Brasil começa o ano sem um orçamento aprovado, mas, em 2021 a situação se agrava pela crise econômica e pelos gastos excessivos provocados pela pandemia. Segundo Rosa, outras discussões que podem ajudar na recuperação só vão entrar em pauta depois que o orçamento for aprovado.

“Existem várias definições que precisam ser feitas e que o atraso no orçamento atrasa também, consigo, diversas outras discussões que são importantes para a nossa economia já no médio prazo. No final do ano passado a gente tinha a discussão sobre a PEC Emergencial, que acabou não andando e que agora só vai voltar para a pauta depois do orçamento. A gente parou a discussão sobre a reforma tributária, que tem impacto sobre a produtividade. Reforma Administrativa, a questão dos subsídios… Diversas medidas que precisam ser votadas e que vão ser atrasadas”, explica o economista.

O ano já começa com uma série de desafios no que diz respeito ao orçamento. O principal deles, para Rosa, é a incapacidade do governo conciliar a demanda por mais gastos sociais e com saúde, realidade imposta pela pandemia, com o teto de gastos, que continua válido em 2021.

“Por conta da continuidade do teto e do aumento das despesas obrigatórias, fica muito difícil pro governo manejar esses gastos e, ao mesmo tempo, atender as demandas por mais gastos, tem pouco espaço no orçamento para isso”.

Para Rosa, não cumprir o teto pode gerar incertezas e o Brasil precisa mostrar compromisso com a questão fiscal.

Relacionadas
Polêmica com imunizantes
Vacinas seriam divididas entre o SUS e colaboradores das empresas integrantes desse grupo
Saúde mais cara
Após suspensão do reajuste de 2020, ano começa com alta que pode passar de 30%
Benefício social
Mercado expressa preocupação com possível volta do benefício social sem uma base orçamentária para tal
Política monetária
Depois de quatro reuniões seguidas com taxa básica de juros mantidas a 2%, BC sinaliza para aumento da Selic na primeira reunião de 2021.
Atrasos na imunização
Agências Moody’s e Fitch e economistas alertam para entraves na vacinação no Brasil
Medidas econômicas
Para o economista, o novo presidente americano enfrenta “corrida contra o tempo” para aprovar medidas econômicas

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.