Vacina

Anvisa aprova, por unanimidade, uso emergencial das vacinas Coronavac e Oxford

Relatora do processo disse que vacinação vai ajudar de maneira determinante no combate à Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Reunião da Anvisa para decidir sobre o uso emergencial de vacinas contra covid-19. Foto: Divulgação/Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou neste domingo (17/01), por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e Oxford no Brasil. Os dois imunizantes são os primeiros com autorização de uso emergencial no país.

A primeira a votar foi a relatora dos pedidos, Marizete Sousa Freitas. Ela ressaltou que não há “alternativa terapêutica disponível eficiente” e disse que cada um, em sua esfera de atuação, tem que adotar medidas para diminuir o impacto da covid-19. “A vacinação ajudará de maneira determinante a proteção individual e coletiva”, afirmou.

Em relação à Coronavac, a diretora da Anvisa condicionou a aprovação à uma assinatura de termo de compromisso que precisa ser publicado no Diário Oficial.

Após o voto da relatora, Romison Rodrigues Mota, Alex Campos, Cristiane Rose Jourdan e Antonio Barra Torres, que é o presidente da Anvisa, também votaram pela autorização.

A reunião começou às 10h10 com técnicos da Agência explicando seus pareceres. A gerência geral de medicamentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou na sua apresentação a aprovação do uso emergencial das vacinas Coronavac e Oxford/AstraZeneca com monitoramento de incertezas e reavaliação periódica.

A Coronavac será produzida e distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan e a vacina de Oxford/AstraZeneca pela Fiocruz.

Assista a reunião aqui:

Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Quinta Chamada
Neurocientista Suzana Herculano destaca que fuga de cérebros é influenciada por falta de recursos e bolsas não permitem “vida independente”
Geopolítica
Felipe Loureiro destaca que encontro entre o presidente dos EUA e Vladimir Putin pode aparar arestas na relação entre as duas potências nucleares
IMPORTAÇÃO EXCEPCIONAL
A autorização é para quantidades reduzidas de doses da vacina, permitindo o monitoramento e a ação imediata da Agência
Fórum internacional
Coalizão de países mais ricos do mundo reuniu-se no Reino Unido e emitiu comunicado em defesa do multilateralismo
Colonialismo
Berlim e Paris reconheceram sua responsabilidade na morte de milhões de africanos no século XX
VACINA
Seis estados e o Distrito Federal optaram por aguardar a decisão da Anvisa sobre o uso emergencial da vacina russa contra a Covid-19

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.