Investigação

CPI da Pandemia aprova quebra de sigilo de Pazuello, Araújo e membros do “gabinete paralelo”

Colegiado decidiu acessar informações de ex-ministros do governo de Jair Bolsonaro
por 
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A CPI da Pandemia aprovou nesta quinta-feira (10) a quebra dos sigilos telefônico e telemático dos ex-ministros Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), além de nomes ligados ao que seria um “gabinete paralelo”.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) é autor de 21 dos 23 requerimentos aprovados pelo colegiado. O congressista avalia que Pazuello “é personagem essencial” na investigação e não teria feito os esforços necessários para evitar a crise do oxigênio em Manaus.

O ofício de quebra de sigilo de Pazuello inclui um pedido para que o Google forneça informações como cópia integral dos documentos no Google Drive e o backup do WhatsApp do ex-ministro da Saúde.

O empresário Carlos Wizard, o virologista Paolo Zanottoa, a secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro, e o assessor internacional da Presidência da República, Filipe Martins também tiveram sua quebra de sigilo aprovada.

Confira a lista de quebras de sigilo autorizados pela CPI:

Ministério da Saúde

• Francieli Fontana Sutile Tardetti Fantinato, coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

• Hélio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde.

• Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde.

• Antonio Elcio Franco Filho, ex-secretário-executivo-adjunto.

• Camile Giaretta Sachetti, ex-diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.

• Flávio Werneck, ex-assessor de Relações Internacionais.

• Zoser Plata Bondin Hardman de Araújo, ex-assessor especial.

Laboratórios

• Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos.

• Túlio Silveira, representante da Precisa Medicamentos.

Crise no Amazonas

• Marcellus Campelo, ex-secretário de Saúde do Amazonas.

• Francisco Ferreira Filho, ex-coordenador do Comitê de Crise do Amazonas. 

Pessoas jurídicas

Quatro pessoas jurídicas são alvos de transferência de dados mais abrangentes:

• Associação Dignidade Médica de Pernambuco (bancário e fiscal).

• Profissionais de Publicidade Reunidos (bancário, fiscal, telefônico e telemático).

• Calya/Y2 Propaganda e Marketing (bancário, fiscal, telefônico e telemático).

• Artplan Comunicação (bancário, fiscal e telemático).

Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Eleições 2022
Em evento no Pará na última sexta-feira, Bolsonaro exibiu camiseta com menção à disputa em 2022
CPI DA PANDEMIA
Relator divulgou lista com 14 nomes; inclui Wizard, Wajngarten, Capitã Cloroquina
Entrevista
Ex-senador afirma ter sido vítima de uma “verdadeira aberração jurídica”
2022
Renato Pereira, contratado por Freixo, fez delação premiada que baseou denúncia contra prefeito do Rio
Privatização
Em corrida contra o tempo, Arthur Lira marcou para segunda (21) votação da MP, que vence na terça
PRIVATIZAÇÃO
Projeto que permite privatização da Eletrobras volta para Câmara. MP perde validade na terça se não for aprovada

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.