REAÇÃO

CNBB cobra ação contra deputado Frederico D’Avila (PSL-SP) por xingar arcebispo e Papa Francisco

“Safados”, “vagabundos” e “pedófilos” foram os adjetivos utilizados pelo parlamentar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Deputado Frederico D’Avila (PSL-SP) se pronuncia durante sessão plenária em São Paulo/ imagem: reprodução YouTube ALESP.

Em favor do Papa Francisco e demais membros católicos, a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou neste domingo (17), um documento em que pede medidas internas “eficazes, legais e regimentais” contra o deputado bolsonarista Frederico D’Avila (PSL-SP). 

Na carta aberta publicada no site e nas redes sociais, a entidade religiosa rejeita “fortemente as abomináveis agressões” proferidas na última quinta-feira, 14 de outubro, pelo deputado estadual Frederico D’Avila, da Tribuna da ALESP. O parlamentar chamou o arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, e o Papa Francisco de “safados”, “vagabundos” e “pedófilos” durante a sessão na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Veja aqui um trecho do discurso em vídeo.

A CNBB repudiou os ataques do parlamentar e acusou o deputado de fazer comentários com “ódio descontrolado” e, assim, “feriu a missão parlamentar, o que requer imediata e exemplar correção pelas instâncias competentes”.

No documento, a instituição religiosa destaca que o Congresso deve tomar medidas eficazes em relação ao caso. “Defensora e comprometida com o Estado Democrático de Direito, a CNBB, respeitosamente, espera dessa egrégia casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais, para que esse ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade”, indica o documento. A Conferência diz ainda em seu documento: “A CNBB, prontamente, comprometida com a verdade e o bem do povo de Deus, a quem serve, tratará esse assunto grave nos parâmetros judiciais cabíveis”. A presidência do órgão busca agora uma agenda para entregar pessoalmente o documento ao presidente da ALESP, deputado Carlão Pignatari. 

Papa Francisco manda recado

No mesmo dia em que a CNBB escreveu a carta aberta o papa se pronunciou em sua conta oficial no Twitter com a seguinte mensagem: “Aos governos e a todos os políticos, que trabalhem pelo bem comum. Não ouçam somente as elites econômicas e estejam a serviço dos povos que pedem terra, casa, trabalho e uma vida digna em harmonia com toda a humanidade e com a criação.”

reprodução conta oficial do Papa Francisco no Twitter @pontifex

Entenda o caso

No dia 12 de outubro, feriado nacional e dia da padroeira católica do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, o arcebispo de Aparecida do Norte, Orlando Brandes se pronunciou em defesa de um Brasil sem ódio e sem armas. Dois dias depois, durante a 47ª Sessão Ordinária, na quinta-feira, dia 14, o deputado bolsonarista usou a bancada para ofender os líderes religiosos. 

Confira, abaixo, a íntegra da carta aberta divulgada pela CNBB e assinada pelo presidente Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte (MG), entre outras autoridades religiosas que compõem a presidência da instituição:

Exmo. Sr.

Deputado Estadual Carlão Pignatari

Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo

Cidadãos e cidadãs brasileiros

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, nesta casa legislativa e diante do Povo Brasileiro, rejeita fortemente as abomináveis agressões proferidas pelo deputado estadual Frederico D’Avila, no último dia 14 de outubro, da Tribuna da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Com ódio descontrolado, o parlamentar atacou o Santo Padre o Papa Francisco, a CNBB, e particularmente o Exmo. e Revmo. Sr. Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida. Feriu e comprometeu a missão parlamentar, o que requer imediata e exemplar correção pelas instâncias competentes.

Ao longo de toda a sua história de 69 anos, celebrada no dia em que ocorreu este deplorável fato, a CNBB jamais se acovardou diante das mais difíceis situações, sempre cumpriu sua missão merecedora de respeito pela relevância religiosa, moral e social na sociedade brasileira. Também jamais compactuou com atitudes violentas de quem quer que seja. Nunca se deixou intimidar. Agora, diante de um discurso medíocre e odioso, carente de lucidez, modelo de postura política abominável que precisa ser extirpada e judicialmente corrigida pelo bem da democracia brasileira, a CNBB, mais uma vez, levanta sua voz.

A CNBB se ancora, profeticamente, sem medo de perseguições, no seguinte princípio: a Igreja reivindica sempre a liberdade a que tem direito, para pronunciar o seu juízo moral acerca das realidades sociais, sempre que os direitos fundamentais da pessoa, o bem comum ou a salvação humana o exigirem (cf. Gaudium et Spes, 76).

Defensora e comprometida com o Estado Democrático de Direito, a CNBB, respeitosamente, espera dessa egrégia casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais, para que esse ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade – sinal de compromisso inarredável com a construção de uma sociedade democrática e civilizada.

A CNBB, prontamente, comprometida com a verdade e o bem do povo de Deus, a quem serve, tratará esse assunto grave nos parâmetros judiciais cabíveis. As ofensas e acusações, proferidas pelo parlamentar – protagonista desse lastimável espetáculo – serão objeto de sua interpelação para que sejam esclarecidas e provadas nas instâncias que salvaguardam a verdade e o bem – de modo exigente nos termos da Lei.

Nesta oportunidade, registramos e reafirmamos o nosso incondicional respeito e o nosso afeto ao Santo Padre, o Papa Francisco, bem como a solidariedade a todos os bispos do Brasil. A CNBB aguarda uma resposta rápida de Vossa Excelência – postura exemplar e inspiradora para todas as casas legislativas, instâncias judiciárias e demais segmentos para que a sociedade brasileira não seja sacrificada e nem prisioneira de mentes medíocres.

Em Cristo Jesus, “Caminho, Verdade e Vida”.

Relacionadas
Violência doméstica
Pelo menos 18 estados já contam com lei sobre violência doméstica, mas nem todos os síndicos, porteiros e funcionários conhecem ou têm preparo para cumprir as novas regras. Medo de retaliação é frequente
SEGUNDA CHAMADA
Para Ciro Gomes, Brasil virou ‘pária internacional por conta da política ambiental do governo Bolsonaro. O ex-ministro não poupou críticas ao atual presidente e ao ex-ministro da Justiça, a quem considera um ‘corrupto’
ELE SÓ PENSA NAQUILO
Segundo interlocutores, ex-presidente Lula disse ser questão de honra derrotar o ex-juiz Sérgio Moro nas urnas em 2022
Amazônia
Relatório do Inpe sobre desmatamento divulgado na quinta-feira está pronto desde final de outubro
ENCONTROS POLÍTICOS
Em viagem pela Europa, o ex-presidente Lula tem se encontrado com lideranças políticas tratando de temas como cooperação internacional, redução da pobreza e impactos das mudanças climáticas
Eleições 2022
Ex-titular do MEC, Ricardo Vélez exaltou candidatura de Moro e fez críticas à forma como Bolsonaro conduz o combate à corrupção
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.