CONFRONTO

Marcelo Ramos pede acesso a pedidos de impeachment

Vice-presidente da Câmara foi alvo de ataques de Bolsonaro e disse que presidente foge da responsabilidade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O vice-presidente da Câmara, o deputado Marcelo Ramos (PL/AM), pediu acesso aos pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Ele apresentou um requerimento ao presidente da Casa, Arthur Lira, para ter acesso a todos os 127 pedidos de impeachment que já foram protocolados contra o presidente.

A abertura do processo de impeachment é uma prerrogativa do presidente da Câmara. Na ausência de Lira, é Marcelo Ramos quem assume.

Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara, durante audiência pública na Comissão Especial da Câmara.
Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara, durante audiência pública na Comissão Especial da Câmara. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom (Agência Brasil).

Segundo o deputado, ele quer ler e entender a fundamentação dos pedidos e ver se existem indícios juridicamente consistentes para o impeachment. Perguntado se ele abriria um processo de impeachment se estivesse exercendo a presidência da Câmara, Ramos disse que é preciso analisar se politicamente cabe decidir isso no exercício provisório da presidência.

A solicitação de Ramos vem no momento em que ele está num confronto público com Bolsonaro, após a aprovação da LDO – a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Na proposta, deputados e senadores incluíram um aumento do fundo eleitoral, verba destinada aos partidos para a campanha eleitoral de acordo com o tamanho da bancada da legenda. O valor foi de R$ 2 bilhões em 2020. Para ano que vem, a LDO prevê quase três vezes mais, perto de R$ 6 bilhões.

O aumento teve o apoio dos parlamentares da base do governo e agora depende do presidente Bolsonaro sancionar ou vetar o texto.

O presidente culpou o deputado Marcelo Ramos pelo aumento. Neste domingo (18), Bolsonaro disse que Ramos atropelou o regimento durante a votação e falou que esse ponto do fundo eleitoral é uma “casca de banana”.

“Então num projeto enorme, alguém botou lá dentro essa casca de banana, essa jabuticaba. Agora o Parlamento descobriu, tentou, foi tentado destacar pra que a votação fosse nominal para essa questão e o presidente Marcelo Ramos, do Amazonas – pelo amor de Deus o estado do Amazonas ter um parlamentar como esse – ele atropelou, ignorou, passou por cima e não botou em votação o destaque”, disse o presidente.

Apesar disso, o presidente não disse se vai sancionar ou vetar este ponto da LDO. Ele falou que vai “dar um bom final para isso”.

O deputado Marcelo Ramos rebateu e disse que Bolsonaro não assume suas responsabilidades e quer defender os filhos que votaram a favor desse fundo eleitoral.

“Temos um presidente que não se dá ao respeito. Não respeita a grandeza do cargo. O Brasil precisa de uma mensagem de esperança, de combate a roubo em vacina, de retomada da economia e do emprego, de ajuda para os que têm fome. Mas ele prefere o ódio e a baixaria. É uma vergonha!”, escreveu Ramos numa rede social.

Relacionadas
Investigação apura acusação feita por Moro de que Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal
VOTO IMPRESSO
Possível presença do delegado-geral da PF, que não se concretizou, gerou receio de politização da corporação no debate sobre voto impresso
LIVE DO PRESIDENTE
Em uma transmissão de um pouco mais de duas horas, o presidente resgatou vídeos da internet que comprovariam fraudes nas eleições de 2014 e 2018, atacou o TSE, a imprensa e elogiou seus ministros
SISTEMA ELEITORAL
Em entrevista ao Café do MyNews, Diogo Rais avalia que a pressa pela mudança no sistema de votação pode levar a um colapso
Fake News
Nas redes sociais, STF divulgou campanha rebatendo posicionamento federal de que teria tirado a competência do governo no combate à pandemia
QUARTA CHAMADA
Além de investigar contratos irregulares, CPI da Pandemia vai convocar novamente pessoas que mentiram em depoimento
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.