colunista Hermínio Bernardo
Produtor e repórter do MyNews
Literatura em Fatos

Quase 20 anos depois, Biden anuncia o fim da guerra no Afeganistão

Considerada a guerra mais longa dos EUA, conflito teve início após ataques de 11 de setembro de 2001
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou que vai retirar todos os soldados americanos e encerrar a guerra no Afeganistão no dia 31 de agosto.

Esta é a mais longa guerra com envolvimento dos Estados Unidos. O missão militar já dura quase 20 anos.

Biden já havia declarado que retiraria todos os militares até o dia 11 de setembro, quando se completa 20 anos do ataque terrorista contra as torres gêmeas do World Trade Center.

Democrata Joe Biden, presidente eleito dos EUA.
Democrata Joe Biden, presidente eleito dos EUA. Foto: Gage Skidmore (Domínio Público).

O presidente americano declarou que se trata de uma “guerra invencível”, sem solução. E, durante um pronunciamento, questionou: “Quantos mais milhares de filhos e filhas americanos vocês querem colocar em risco?”

A oposição de Biden criticam a medida e afirmam que há um temor de que o grupo terrorista Talibã volte a dominar o Afeganistão, como no período dos atentados de 2001.

A sugestão literária desta semana é “O Vulto das Torres”, de Lawrence Wright. A obra conta como Osama bin Laden organizou um grupo para cometer o ataque. O livro mostra a relação entre o saudita bin Laden e o egípcio Al-Zawahiri, o número 2 da Al-Qaeda.

O livro mostra que o governo dos Estados Unidos poderia ter ter evitado o atentado se houvesse uma cooperação entre CIA e FBI.

“Um atendia à necessidade do outro. Zawahiri precisava de dinheiro e contatos, coisas que bin Laden dispunha em abundância. Bin Laden, um idealista dedicado a causas, buscava um rumo, que Zawahiri, um propagandista tarimbado, forneceu. Não eram amigos, mas aliados. Cada um acreditava poder usar o outro, e cada um foi impelido numa direção que nunca pretendeu tomar”.

Relacionadas
LITERATURA EM FATOS
Eventos extremos ganham destaque: chuvas na Europa, Índia e China; calor intenso no Canadá e seca no Brasil
LITERATURA EM FATOS
País enfrenta onda de protestos com crise econômica, política e social. Falta de alimentos e combustíveis agrava ainda mais a desigualdade social
LITERATURA EM FATOS
Escândalos e pressões políticas na História e na literatura. Bolsonaro e Covaxin são os atuais
LITERATURA EM FATOS
Não pode ser normalizado o fato de uma pessoa ser atacada por sua existência, por sua identidade
LITERATURA EM FATOS
“Deve haver alguma coisa nos livros”
O corpo negro é o alvo da bala perdida
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.