colunista Juliana Braga
Jornalista do MyNews
EXCLUSIVO

Bolsonaro pode substituir astronauta por Kassab

De olho em 2022, presidente quer atrair PSD, terceiro partido com o maior número de prefeituras
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O presidente Jair Bolsonaro tem sido aconselhado pela ala militar do governo a aproveitar a reforma ministerial para substituir Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). A avaliação é de que o astronauta não conseguiu fazer uma boa vitrine para as ações da pasta. O substituto seria o presidente do PSD, Gilberto Kassab.

As trocas, previstas para depois do Carnaval, têm como pano de fundo a pavimentação do caminho para a disputa pela reeleição em 2022. O PSD de Kassab elegeu 654 prefeitos em 2020, sendo o terceiro partido com gestões municipais, um ativo importante para capilarizar a campanha presidencial. 

Kassab foi ministro das Cidades na gestão de Dilma Rousseff, e da Ciência e Tecnologia na de Michel Temer. Foi também secretário da Casa Civil do governador de São Paulo, João Dória. Mas nos últimos meses, o dirigente partidário se aproximou de Bolsonaro.

O presidente está preocupado em fortalecer o governo para chegar em 2022 com um portfólio robusto de entregas para apresentar. Por isso, tem avaliado também a comunicação. A ala militar é crítica à condução do ministro das Comunicações, Fábio Faria, e do secretário de Comunicação da presidência, Fábio Wajngarten.

Em conversa recente com Faria, Bolsonaro deixou nas mãos do ministro a decisão de demitir ou não Wajngarten. Reconheceu que o auxiliar é de difícil trato e não respeita hierarquia. Nos últimos meses, brigou com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e com o próprio Fábio Faria. O ministro das Comunicações, no entanto, pretende manter Wajngarten no posto. 

Nessa aproximação com os partidos do Centrão, o Planalto está disposto a entregar o Ministério da Educação para o DEM, caso o partido formalize apoio ao governo. Cotado para o posto, o ex-ministro Mendonça Filho tem dito a aliados que não gostaria de assumir a missão.

Relacionadas
Troca na comunicação
A nomeação aguarda apenas uma confirmação de Bolsonaro, mas seu sucessor, Flávio Rocha, já despacha em seu lugar
Corrida presidencial
Supremo pode colocar o ex-presidente na corrida por 2022
ELEIÇÕES
Governador do Espírito Santo é mais um nome no já congestionado campo da esquerda de olho no Planalto
EXCLUSIVO
Inquérito das Fake News tem indícios de que os financiadores da campanha do presidente patrocinam sites de notícias falsas
Tensão entre Poderes
O presidente da Câmara se reúne nesta terça-feira com gestores locais
ECONOMIA
Ministro da Economia entendeu o recado da demissão de Roberto Castello Branco da Petrobras

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.