Proteção de dados

WhatsApp limitará recursos de quem não concordar com políticas de privacidade

Empresa fixou em maio prazo final para aceitação das diretrizes. O processo não permite a leitura de mensagens por parte da companhia
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O WhatsApp publicou nesta segunda-feira (22) uma página contendo informações sobre o que acontecerá com os usuários que não concordarem com a nova política de privacidade implementada pela empresa, prevista para entrar em vigor no dia 15 de maio.

Tanto o envio quanto a leitura de mensagens (texto, áudio e mídias) ficarão restritos para aqueles que não aceitarem os novos termos até o prazo de instauração das medidas. A conta não será excluída, mas sim limitada – o aplicativo multiplataforma de mensagens instantâneas dirigido pelo Facebook permitirá, “por um breve período”, que esses usuários continuem a receber ligações e notificações.

WhatsApp, plataforma do Facebook, altera políticas de privacidade do usuário.
WhatsApp, plataforma do Facebook, altera políticas de privacidade do usuário. Foto: Christoph Scholz (Flickr).

Passado o período de aceitação das recentes diretrizes, os utilizadores do app não conseguirão mais acessá-la para validar as informações. A alteração nas políticas de privacidade vem sendo comunicada desde o início de 2021, esclarecendo que haverá compartilhamentos simultâneos de dados entre a aplicação e o Facebook, sob o pretexto de interação entre as empresas e aprimoramento da experiência pessoal do usuário.

Relacionadas
Imunização mundial
Consórcio da OMS visa distribuição mundial de doses, evitando o monopólio dos países ricos. Presidente ganês foi o primeiro vacinado no país
Mianmar
Outras 30 pessoas ficaram feridas. Manifestações se espalharam pelo país após golpe do dia 1º de fevereiro
PANDEMIA AVANÇA
Governos estaduais anunciaram toque de recolher e até lockdown para tentar conter o avanço da pandemia
RACISMO
Ofensas explícitas, diagnósticos imprecisos e procedimentos desnecessários fazem pacientes negras e indígenas evitarem consultas e tratamentos
Pandemia
Brasil tem mais de 10,3 milhões de casos registrados e mais de 251 mil mortes pela doença
recorde
Nas últimas 24h, país registrou 1.582 mortes. Total passa de 251 mil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.