enchente no Acre

“Pior das ocorrências que a gente já teve nos últimos tempos”, diz Defesa Civil do Acre

Além de enchentes, Acre sofre com aumento do número de casos de covid-19, surto de dengue e crise migratória
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Mais de 110 mil pessoas já foram afetadas pelas enchentes no Acre, segundo a Defesa Civil estadual. Os rios Acre, Jurupa, Purus, Envira e Iaco transbordaram afetando dez municípios. “Essa é a pior das ocorrências que a gente já teve nos últimos tempos”, afirmou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Eudemir Gomes Bezerra.

O coronel explica que é a pior ocorrência não em relação à quantidade de água, mas por causa de outros problemas que agravam ainda mais a situação no estado. O sistema de saúde do Acre está sobrecarregado por causa do aumento do número de casos de covid-19 e surtos de dengue. Há ainda uma crise migratória na fronteira com o Peru.

A rodovia que liga Rio Branco a Cruzeiro do Sul está interrompida na altura do quilômetro 146. Há ainda registro de deslizamentos em mais de 15 pontos dela, o que limita o tráfego de veículos. “É o acesso único que tem para a maioria dos municípios do estado. A gente tem preocupação com abastecimento de oxigênio, ali são caminhões pesados que andam nessa estrada”, disse.

O Ministério Público do Acre lançou a campanha “SOS Acre” em parceria com o Tribunal de Justiça para arrecadar doações para as famílias atingidas pelas enchentes. As informações sobre a campanha estão no site do Ministério Público.

Rio Envira. Foto: Ascom/CBMAC

Relacionadas
Imunização mundial
Consórcio da OMS visa distribuição mundial de doses, evitando o monopólio dos países ricos. Presidente ganês foi o primeiro vacinado no país
Mianmar
Outras 30 pessoas ficaram feridas. Manifestações se espalharam pelo país após golpe do dia 1º de fevereiro
PANDEMIA AVANÇA
Governos estaduais anunciaram toque de recolher e até lockdown para tentar conter o avanço da pandemia
RACISMO
Ofensas explícitas, diagnósticos imprecisos e procedimentos desnecessários fazem pacientes negras e indígenas evitarem consultas e tratamentos
Pandemia
Brasil tem mais de 10,3 milhões de casos registrados e mais de 251 mil mortes pela doença
recorde
Nas últimas 24h, país registrou 1.582 mortes. Total passa de 251 mil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.