POLÍTICA

Ernesto Araújo diz que Bolsonaro faz governo sem alma, nem ideal

Um mês após demissão, ex-ministro das Relações Exteriores escreveu ainda que projeto de “construir uma grande nação minguou no projeto de construir uma base parlamentar”
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em uma série de postagens publicadas no Twitter, o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, que há um mês pediu demissão após atacar a senadora Kátia Abreu (PP-TO) e sofrer com pressão do Congresso, criticou o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) neste sábado (1º).

“Um governo popular, audaz e visionário foi-se transformando numa administração tecnocrática sem alma nem ideal. Penhoraram o coração do povo ao sistema. O projeto de construir uma grande nação minguou no projeto de construir uma base parlamentar”, escreveu o ex-chanceler, que atualmente desempenha uma função mais modesta no Itamaraty.

Ernesto Araújo diz que Bolsonaro faz governo sem alma, nem ideal. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil - 14/11/18
Ernesto Araújo diz que Bolsonaro faz governo sem alma, nem ideal. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil – 14/11/18

Araújo destacou ainda que assistiu ao processo de transformação do governo com “angústia e inconformidade”. “Fiz o que pude, até onde pude, para preservar a visão original. Nisso estive quase sozinho. Vi confiscarem ao Presidente seu sonho, anularem suas convicções, abafarem sua chama. (Não deixei que abafassem a minha.)”, destacou.

Para o ex-chanceler, com a eleição de Bolsonaro em 2018, o povo brasileiro ganhou a chance de transformar o Brasil numa “verdadeira democracia”, mas o projeto perdeu força. “Chegamos a avançar. Mas, a partir de meados de 2020, a reação do sistema, cavalgando a pandemia [de covid-19], começou a desmantelar essa esperança”, apontou.

Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Cpi da Pandemia
Advocacia-Geral da União (AGU) apresenta habeas corpus preventivo ao Supremo em favor do ex-ministro da Saúde
Entrevista – Alessandro Molon
Durante o programa Café do MyNews desta quinta-feira, o deputado Alessandro Molon falou sobre o uso dos R$ 3 bilhões do orçamento paralelo
CPI DA PANDEMIA
Murillo afirma na CPI da Pandemia que três ofertas de imunizantes foram deixadas sem resposta e que 1,5 milhão de doses poderiam ter sido entregues em 2020
Pesquisa Datafolha
Segundo o Datafolha, 35% dos evangélicos votariam em Lula no 1º turno e 34% em Bolsonaro, petista também avança entre empresários
Quarta Chamada
Criminalista avalia que não é possível ser “garantista de ocasião” e que encaminhamento ao MP foi a medida correta
2022
É a primeira pesquisa do instituto desde a anulação das condenações do ex-presidente pelo ministro do STF Edson Fachin

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.