COPA AMÉRICA

Jogadores criticam Conmebol em manifesto, mas jogarão Copa América

Atletas afirmam que não quiseram tornar discussão política. Copa América será discutida pelo STF
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Os jogadores quebraram o silêncio depois de uma semana e se manifestaram sobre a Copa América. Os atletas divulgaram uma nota em conjunto nas redes sociais com críticas à Conmebol.

Seleção Brasileira na partida contra o Paraguai.
Seleção Brasileira na partida contra o Paraguai. Foto: Lucas Figueiredo (CBF).

Em um trecho da nota, os jogadores afirmam que estão insatisfeitos com a situação.

“Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil. Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização”, diz a nota.

Os jogadores encerram a nota dizendo “somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à seleção brasileira”.

O tema será discutido nesta quinta-feira (10) pelo Supremo Tribunal Federal. O presidente do STF, ministro Luiz Fux, convocou uma sessão extraordinária para julgar ações que tentar barrar a realização da Copa América no Brasil. A decisão atende um pedido da ministra Cármen Lúcia, relatora das ações sobre o tema.

Manifesto dos jogadores

“Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia mídia estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira.”

Íntegra do programa ‘Café do MyNews‘ desta quarta-feira (9), que abordou a realização da Copa América no Brasil.
Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
CPI DA PANDEMIA
Relator divulgou lista com 14 nomes; inclui Wizard, Wajngarten, Capitã Cloroquina
Entrevista
Ex-senador afirma ter sido vítima de uma “verdadeira aberração jurídica”
2022
Renato Pereira, contratado por Freixo, fez delação premiada que baseou denúncia contra prefeito do Rio
Privatização
Em corrida contra o tempo, Arthur Lira marcou para segunda (21) votação da MP, que vence na terça
PRIVATIZAÇÃO
Projeto que permite privatização da Eletrobras volta para Câmara. MP perde validade na terça se não for aprovada
Senado Federal
Maria Inês Fini avalia que senador mostrou na CPI da Pandemia não ter preparo emocional e condições para exercer o cargo

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.