balão MyNews
Artigos dos membros do MyNews
OPINIÃO

Bioeletromobilidade: o Brasil pode ser exemplo para o mundo

O Brasil tem a peculiaridade de possuir matriz energética três vezes mais limpas do que a média mundial, o que não afasta a urgência de discutirmos os desafios da transição energética
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Como sabemos, o mundo está passando por um período de transição energética, diante de um cenário de mudanças climáticas com consequências trágicas. A cada dia, discute-se com ainda mais afinco qual será – ou deverá ser – ao futuro da matriz energética mundial.

O Brasil tem a peculiaridade de possuir matriz energética três vezes mais “limpas” do que a média mundial, o que não afasta, porém, a urgência de discutirmos como atuaremos em face dessa transição energética, que certamente nos trará enormes desafios.

Especificamente no setor de transporte, vemos uma transição rápida caracterizada pela substituição dos veículos a combustão interna para veículos elétricos. Isso exige que os países tracem a melhor estratégia para suprir essa nova demanda por eletricidade.

carro elétrico - Brasil pode ser exemplo de transição energética
Brasil pode servir de exemplo para o mundo na adoção de energias sustentáveis, a exemplo do biocombustível e dos carros elétricos/Foto: Pixabay

Mas como o Brasil fica neste cenário? Primeiramente, precisamos comparar a sustentabilidade de nossa matriz energética com a média mundial: Brasil 44% x 15% mundo. Isso mesmo, somos quase 30% mais sustentáveis que o mundo. Parte deste desempenho se dá pelo uso de biocombustíveis. Etanol, biodiesel, bioquerosene vêm sendo uma alternativa brasileira para a segurança energética, competindo com os derivados do petróleo.

Como falavam os desenhos animados dos anos 1990: se não podemos ganhar, juntemo-nos a eles (um tanto trágico, eu sei). Isso significa: não podemos dizer ao setor de transporte que usem veículos com biocombustíveis, mas podemos ajudar o mundo a tornar esse elétron sustentável.

Explico: o mundo precisa da transição energética porque sua matriz é extremamente emissora de gases de efeito estufa e precisa substituir sua atual matriz por um combustível de transição – o gás natural (fonte fóssil e não renovável). Nós, brasileiros, já utilizamos o etanol (fonte renovável) como alternativa viável (infelizmente elástica) à gasolina, por exemplo.

“E que horas o seu título vai fazer sentindo neste artigo?” – pergunta @ leitor(a) mais atento. Agora mesmo, precisamos fazer uma transição trágica como o mundo? Não! Precisamos, sim, entender o papel relevante do país e do agronegócio para a eletromobilidade que já está aí, queiramos ou não.

Por isso, pontuo que no Brasil deveríamos buscar a BIOELETROMOBILIDADE. Podemos gerar eletricidade (no posto de combustível) a partir do etanol, utilizando célula a combustível para veículo puramente elétrico. Com o mesmo etanol podemos produzir (no posto de combustível) hidrogênio verde para abastecer os veículos elétricos com célula a combustível. E sabe o que é melhor? A logística do etanol já está pronta, as questões de segurança já estão testadas e ainda podemos gerar créditos de carbono a partir do programa Renovabio, tornando o preço do kWh também sustentável.

O que precisamos é que o agronegócio veja a eletromobilidade como mais uma oportunidade de mostrar ao mundo que temos uma tecnologia viável e sustentável. E que o futuro poderá ser BIOELÉTRICO com o Brasil na vanguarda das tecnologias.


Quem é Davi Gabriel Lopes?

Engenheiro agrônomo (Universidade Federal do Ceará), com mestrado e doutorado em Planejamento Energético pela UNICAMP. Atualmente, é assessor técnico no projeto internacional que estuda o Hidrogênio eletrolítico a partir de fontes renováveis no Paraguai

* As opiniões das colunas são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a visão do Canal MyNews


Já que você está aqui… Um recadinho rápido: o apoio ao jornalismo é fundamental para a democracia. O programa de membros do MyNews é essencial para que continuemos reportando fatos, promovendo debates e fiscalizando o poder. Ao apoiar o Canal, você tem acesso a programas exclusivos, descontos em livros, uma newsletter extra, análises, reportagens e entrevistas especiais. Além de poder escrever para o “Você Colunista”.

Relacionadas
OPINIÃO
Bolsonaro interpreta no palco do “cercadinho” o herói revolucionário antissistema, lutador contra as forças do mal. Porém, quando as cortinas se fecham, está ele arrochando com o centrão e fazendo exatamente o que condena em cena
OPINIÃO
A depender do momento histórico, é importante para o país, ora adotar políticas públicas mais conservadoras, ora adotar outras tantas mais progressistas. Assim como o mundo se transforma em função das tecnologias, das mudanças ambientais, do espírito do tempo; também podem mudar as prioridades nacionais
OPINIÃO
Os evangélicos do tipo neopentecostal supostamente seguem por princípio os ensinamentos dos evangelistas. Mateus, Marcos, Lucas e João. Entre esses não há indicação qualquer acerca de prevalência da riqueza em relação à pobreza como distinção
OPINIÃO
A vida se transforma agora e o tempo todo e precisamos de um caminho para trilhar fora dos aplicativos eletrônicos. A solidariedade precisa ultrapassar os limites do mundo virtual
OPINIÃO
Também chamado de financiamento coletivo, o crowdfunding é uma modalidade de investimento que captou R$ 84,4 milhões em 2020 e beneficiou diversos setores da economia durante a pandemia
OPINIÃO
No livro “Como funciona o fascismo”, Jason Stanley utiliza fascismo para ultranacionalismos nos quais a nação é representada por um líder autoritário e exemplifica com os confederados norte-americanos. Eis um erro de principiante no estudo da História
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.