colunista Juliana Braga
Jornalista do MyNews
RECADO

Malafaia ameaça inviabilizar reeleição de Alcolumbre

Incomodado com a demora em marcar a sabatina do ministro “terrivelmente evangélico”, Malafaia promete fazer campanha contra ex-presidente do Senado
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ignorado em Brasília, o pastor Silas Malafaia decidiu usar todas as suas fichas para pressionar o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Davi Alcolumbre (DEM-AP). Ele enviou emissários ao amapaense com o seguinte recado: caso a sabatina do ex-advogado-Geral da União André Mendonça não seja marcada logo, o pastor irá usar sua influência no eleitorado evangélico para inviabilizar a sua reeleição. Alcolumbre pretende tentar mais um mandato para o Senado nas eleições de 2022.

Ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre, resiste à André Mendonça no STF.
Ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre, teria se recusado a receber Silas Malafaia, o que fez o pastor mudar o tom e enviar “recado” ao senador/Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.

Silas Malafaia esteve em Brasília na semana passada para tentar uma audiência com Alcolumbre, com quem julgava ter uma boa relação. O ex-presidente do Senado, no entanto, se recusou a recebê-lo e Malafaia mudou o tom. Enviou emissários com o recado de que trabalharia para evitar sua reeleição.

Desde que deixou clara sua resistência ao nome de André Mendonça, o ministro “terrivelmente evangélico” que o presidente Jair Bolsonaro prometera no Supremo Tribunal Federal (STF), Alcolumbre passou a ser alvo de ataques nas redes sociais. Um, em especial, irritou o senador: o que atribui ao fato de ele ser judeu a objeção a um ministro evangélico. Por conta dessa insinuação, o amapaense foi se queixar ao colega Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente da República.

Com os parlamentares evangélicos que recebeu, Alcolumbre foi evasivo e evitou dizer claramente o motivo pelo qual retarda a análise do nome de Mendonça. Mas avisou que antes do 7 de setembro, para quando estão marcadas manifestações bolsonaristas, não tem nem previsão de acontecer.

Assista ao Café do MyNews, de segunda a sexta, a partir das 8h30, no Canal MyNews, com apresentação de Juliana Braga

Relacionadas
CRISE ENTRE OS PODERES
Na avaliação do filho 01, só o ex-presidente saiu ganhando com a carta redigida por ele e boicotou chances de recuo do STF
Cobrança
Em uma espécie de “batalha final”, lideranças fazem pressão em várias frentes para garantir sabatina antes que seja tarde demais
Homenagem
Integrantes do G7 acreditam que ato final pode desviar o foco das investigações e caracterizar falta de isenção
Ministério Público Federal
Com o fim do mandato em setembro, se Aras não for sabatinado, subprocurador opositor a ele pode assumir a cadeira
Urna eletrônica
Apesar da rejeição à PEC, placar dificulta a intenção de Arthur Lira de enterrar de vez o assunto na Câmara dos Deputados
Punição
Militares sustentarão Lula caso o petista seja eleito em 2022, mas há receio de que haja uma postura revanchista do ex-presidente
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.