colunista Juliana Braga
Jornalista do MyNews
EXCLUSIVO

Lira articula acordo para pacificar PSL

Major Vitor Hugo abriria mão da candidatura avulsa contra Luciano Bivar; aliados de Bolsonaro garantiriam presidência de comissões
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Depois de dissolver o bloco opositor e de ser acusado de autoritário por adversários, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), articula um acordo para pacificar o PSL, uma das bancadas parlamentares mais rachadas. As negociações entraram no bojo dos acertos para baixar a temperatura com os aliados do deputado Baleia Rossi (MDB-SP).

Pelo entendimento, Major Vitor Hugo (PSL-GO) abriria mão de disputar um espaço na Mesa de Diretora de forma avulsa contra Luciano Bivar (PSL-PE), presidente da legenda. Apesar de os cargos serem tradicionalmente distribuídos em acordo de líderes, candidaturas avulsas são permitidas e já surpreenderam em outras ocasiões. Após conversas, PSL ficará com a 1ª Secretaria da Casa.

Deputado Arthur Lira contou com o apoio do presidente Jair Bolsonaro na eleição da Câmara. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brasília – Deputado Arthur Lira, cancela, por falta de quórum, sessão para analisar o recurso que pede a anulação da sessão do Conselho de Ética,sobre investigações contra Eduardo Cunha (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Desde que Jair Bolsonaro deixou o PSL, a bancada está dividida praticamente ao meio entre os apoiadores do presidente e o restante do partido, o que dificulta a distribuição de cargos. Bivar, que controla a estrutura administrativa da legenda, chegou a punir 17 parlamentares os proibindo de exercer cargos na Câmara. Por conta disso, Major Vitor Hugo entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal na semana passada para garantir sua participação na eleição.

De acordo com o deputado Júnior Bozella (PSL-SP), Vitor Hugo já conversou com o grupo de Bivar e topou retirar sua candidatura. Como contrapartida, a turma do presidente da legenda garantirá espaços para os aliados de Bolsonaro nas comissões temáticas da Câmara. Por ser uma das maiores bancadas eleitas, o PSL tem direito à presidência de quatro comissões e preferência pela escolha das mais importantes. Quais serão ainda depende de acordo entre Arthur Lira e Baleira Rossi. Já Carla Zambelli (PSL-SP), aliada de Bolsonaro, não vê chances de o acordo prosperar.

Lira decidiu entrar na costura depois que a oposição reagiu ao seu primeiro ato como presidente. Ele dissolveu o bloco formado por Baleia Rossi e reduziu os espaços aos quais teriam direito. Com a negociação, o presidente da Câmara tenta baixar a temperatura e reverter o desgaste com opositores.

Relacionadas
Troca na comunicação
A nomeação aguarda apenas uma confirmação de Bolsonaro, mas seu sucessor, Flávio Rocha, já despacha em seu lugar
Corrida presidencial
Supremo pode colocar o ex-presidente na corrida por 2022
ELEIÇÕES
Governador do Espírito Santo é mais um nome no já congestionado campo da esquerda de olho no Planalto
EXCLUSIVO
Inquérito das Fake News tem indícios de que os financiadores da campanha do presidente patrocinam sites de notícias falsas
Tensão entre Poderes
O presidente da Câmara se reúne nesta terça-feira com gestores locais
ECONOMIA
Ministro da Economia entendeu o recado da demissão de Roberto Castello Branco da Petrobras

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.