colunista Mara Luquet
CEO e fundadora do MyNews
MyNews Investe

Juntos nesta jornada

Para além dos investimentos, a vivência no mercado financeiro ensina como se portar perante os tempos de crise e de euforia. A chave para o sucesso, no entanto, é uma só: informação de qualidade
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Comecei no jornalismo econômico como estagiária em 1989. Naquele ano, a inflação anual, pelo IPCA, atingiu 1.973% e eu ganhava 2.900 Cruzeiros Novos. Em junho de 1993, meu salário atingiu a fantástica cifra de 55 milhões de Cruzeiros, mas nem por isto me sentia uma milionária. Não era para menos, a inflação entre as duas datas foi de 1.271.780%. Sequer conseguia pagar meu aluguel. Era um tempo em que não se podia planejar nada.

MyNews Investe é o novo programa da grade MyNews.
MyNews Investe é o novo programa da grade MyNews. Foto: Reprodução (MyNews).

Em 1998, fui convidada por Otávio Frias, o querido e saudoso Sr. Frias, para criar um caderno semanal para a Folha de São Paulo que ajudasse os leitores a entender mais sobre finanças pessoais. Visionário que era, Sr. Frias sabia que, com a estabilidade monetária conquistada em 1994, os brasileiros passariam a demandar mais informações para, finalmente, planejar seus investimentos.

Criamos então o Folhainvest, o primeiro caderno puramente dedicado à educação financeira e finanças pessoais da grande mídia. Naquele quarto ano após o Plano Real, a inflação anual (IPCA) rondava os 5%, no entanto, a taxa Selic anual era de 25,25%, fazendo do Brasil o reino da renda fixa por muitos anos.

Também fiz parte do time de jornalistas que criou o jornal Valor Econômico em 2000, onde idealizei e me tornei a editora do caderno Eu&Investimentos. 

Durante todo este período cobrindo finanças pessoais, vivenciei várias crises financeiras: a crise do México em 1995; a asiática, em 1997; a russa, em 1999; a da desvalorização do real, em 1999; a da transição do governo FHC para o governo Lula em 2002. Também atravessei tempos de prosperidade como a evolução positiva do índice Ibovespa de 2003 a junho de 2008, quando foi atingido pelos reflexos da crise do subprime.

Enfim, vivi e cobri tempos de crises e de euforias do mercado nestes 30 anos de jornalismo econômico. Aprendi que é preciso ter moderação nos momentos de euforia e cautela, sangue-frio, nos de crise, quando costumam surgir boas oportunidades de negócios.

Mas, você deve estar se perguntando: aonde a Mara quer chegar com toda esta conversa? Meu objetivo é alertá-lo que a redução da taxa de juros, além de despertar a busca por mais rentabilidade em mercados de maior risco, fez surgir uma infinidade de “conselheiros” de investimentos como nunca se viu. 

O escudo para não cair em falsas promessas de enriquecimento fácil é informação de qualidade, independente, confiável. Essas três décadas de cobertura do mercado financeiro me mostraram que muitos desses “gurus” ou “magos” das finanças não sobrevivem ao primeiro chacoalhar do mercado. Agora mesmo, nesta crise produzida pela pandemia de covid-19, vi muitos “gênios” das finanças desaparecerem da mídia simplesmente porque não sabiam o que dizer. 

No MyNews criei agora o MyNews Investe que estreia nesta semana. Aqui você vai encontrar jornalistas profissionais comprometidos em buscar fontes confiáveis para levar a você informações sobre o mercado financeiro a fim de facilitar suas escolhas. Você vai ficar sabendo quem é quem no mercado financeiro: quem pode gerir carteiras; quem fiscaliza; quem pode indicar investimentos, os riscos, as oportunidades e como fazer com que sua carteira de investimento seja bem-sucedida. Ouvindo sempre as fontes mais confiáveis do mercado. 

Neste mundo pós-pandemia, serão muitos os desafios, mas também as oportunidades. Novos mercados, novos comportamentos, novos problemas, novas soluções. Certamente, estaremos juntos nesta jornada.

Relacionadas
Este é o maior dano que os políticos estão causando à economia do País: tirar a perspectiva de jovens brasileiros
caso ghosn
Executivo foi preso por sonegação. Ghosn fugiu da prisão domiciliar no Japão e vive no Líbano desde dezembro de 2019
3 ANOS
O que era um sonho se tornou realidade e completou, nesta semana, três anos com carinha de 30, como diz a nossa campanha de aniversário
CONFIANÇA
Em quem confiar e por que confiar? Já parou para pensar sobre isto?
Coluna – Mara Luquet
Movimento pró-impeachment de Jair Bolsonaro ocorre em um espectro social difuso, sem poder efetivo de influência econômica ou política
Coluna – Mara Luquet
O que está acontecendo em Manaus pode se espalhar para o todo o país
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.