Deputado Preso

Câmara mantém prisão de Daniel Silveira

Deputado continua preso após ofensas ao STF e apologia ao AI-5. Votação teve ampla maioria contra Daniel Silveira
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O plenário da Câmara decidiu manter a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). A prisão foi mantida por 364 votos a favor e 130 contra, 3 deputados decidiram se abster. Eram necessários 257 votos para uma decisão, ou seja, maioria simples.

O deputado participou da sessão via videoconferência do Batalhão Especial Profissional da Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde está preso.

Na sessão, Daniel Silveira pediu desculpas e disse que se excedeu.

“Assisti meu vídeo várias vezes. Eu não consegui compreender o momento da raiva que ali me encontrava e peço desculpas a todo Brasil, porque vi, de várias pessoas, juristas renomados, senhoras senhores, adolescentes, qualquer tipo de classe, que perceberam que me excedi, de fato, na fala. Um momento passional”, afirmou o deputado.

Câmara mantém prisão de Daniel Silveira. Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Câmara mantém prisão de Daniel Silveira. Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

A relatora, deputada Magda Mofatto (PL-GO), defendeu a manutenção da prisão e declarou que Silveira faz ataques com discursos de ódio.

“Temos entre nós um deputado que vive a atacar a democracia e as instituições e transformou o exercício do seu mandato em uma plataforma para propagação do discurso do ódio, de ataques a minorias, de defesa dos golpes de estado e de incitação à violência contra autoridades públicas”, declarou.

Prisão de Daniel Silveira

Daniel Silveira foi preso na terça-feira (16) após divulgar um vídeo nas redes sociais em que defende a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal, o que é inconstitucional.

No vídeo, Silveira ainda fez apologia ao AI-5, Ato Institucional número 5, instrumento de repressão utilizado pela ditadura militar. A prisão foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes e mantida por unanimidade pelo plenário do STF.

No pedido de prisão, Moraes lembra que o parlamentar é investigado a pedido da Procuradoria-Geral da República por ter se “associado com o intuito de modificar o regime vigente e o Estado de Direito, através de estruturas e financiamentos destinados à mobilização e incitação da população à subversão da ordem política e social, bem como criando animosidades entre as Forças Armadas e as instituições”.

A PGR denunciou Daniel Silveira ao STF no âmbito do inquérito que investiga atos antidemocrático desde abril do ano passado.

O deputado é acusado de, ao menos três vezes, praticar agressões verbais e graves ameaças contra ministros da Corte para favorecer interesse próprio; de duas vezes incitar o emprego de violência e grave ameaça para tentar impedir o livre exercício dos Poderes Legislativo e Judiciário; e de incitar a animosidade entre as Forças Armadas e o STF

Assiste à íntegra do Dinheiro na Conta especial de hoje:

Relacionadas
Presidente usou imagem adulterada para promover lançamento do Amazônia 1
2022
Ex-presidente depende de decisão favorável do Judiciário para ser candidato
Letalidade recorde
Ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto avalia que fechamento do comércio é o único caminho possível para deter a pandemia
Crime de calúnia
Denúncia foi apresentada por Flávio Dino, que alega ter tido sua imagem maculada por informação falsa
Avaliação do presidente
Rejeição ao presidente oscilou dentro da margem de erro desde fevereiro
Repercussão internacional
Avanço da covid-19 no Brasil é assunto em publicações internacionais

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.