DISCURSO ANTIDEMOCRÁTICO

Em nota escrita por Temer, Bolsonaro baixa o tom e culpa “calor do momento”

Em nota divulgada pelo Palácio do Planalto, Bolsonaro fala em "embates que sempre visaram o bem comum" e volta a citar o ministro Alexandre de Moraes. Ex-presidente Michel Temer confirmou que redigiu o texto
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Palácio do Planalto divulgou no final da tarde desta quinta (09) uma nota oficial do presidente Jair Bolsonaro, na qual ele recua dos posicionamentos adotados nas últimas semanas e diz que as declarações contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e a incitação de atos antidemocráticos foram dadas no “calor do momento”. “(…) quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”, diz a nota, acrescentando que o presidente nunca teve a “intenção de agredir quaisquer dos Poderes”.

Na nota, Bolsonaro diz que respeita os Poderes da República e que “na vida pública as pessoas que exercem o poder não têm o direito de ‘esticar a corda’, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia” e que “sempre esteve disposto a manter o diálogo permanente com os demais Poderes”.

Apesar do tom do texto indicar para uma conciliação, num dos trechos do documento, o Bolsonaro volta a citar o ministro do STF Alexandre de Moraes. “Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news”, diz a nota, para completar: “Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do ministro Alexandre de Moraes”.

A nota oficial diz ainda que “essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previstos no Art 5º da Constituição Federal”.

Nota oficial de Bolsonaro foi escrita pelo ex-presidente Michel Temer (MDB)

Em entrevista à analista política Thais Arbex, CNN Brasil, o ex-presidente da República, Michel Temer confirmou que escreveu a nota divulgada pelo Palácio do Planalto. “Eu estou ajudando a pacificar o país. Até pelo tom da nota, ela é de harmonia entre os Poderes. Não fiz mais do que venho fazendo em toda a minha vida pública”, disse Temer à CNN Brasil. De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o texto foi redigido em conjunto por Michel Temer e pelo marqueteiro Elsinho Mouco.


Relacionadas
SEGUNDA CHAMADA
Para jornalista Jamil Chade, comunidade internacional já tem uma posição em relação a Bolsonaro e discurso não vai ser suficiente para reverter essa imagem destruída que Brasil tem hoje no mundo
ASSEMBLEIA GERAL DA ONU
Bolsonaro pretende uma agenda positiva, mas é o único líder do G-20 que não se vacinou contra a Covid-19. Primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, aconselhou o presidente brasileiro a tomar a vacina Oxford/AstraZeneca
DE OLHO EM 2022
Com queda do engajamento nas redes bolsonaristas desde o fim de 2020, filhos de Jair Bolsonaro buscam empresa estrangeira para promover disparos em massa
SUSPENSÃO DA VACINAÇÃO
Decisão foi acordada em reunião nesta sexta-feira, após o ministro ter suspendido a vacinação em adolescentes sem consultar a Câmara Técnica da pasta
CPI nas ruas
Operação foi a pedido da cúpula da CPI da Pandemia, e mira documentos que possam esclarecer o contrato de R$1,61 bilhão assinado pelo governo para aquisição da Covaxin
OPINIÃO
A Câmara é um órgão colegiado, mas o seu presidente tem o poder de, sozinho, decidir se admite ou não que as petições relatando crimes de responsabilidade serão apreciadas pelas comissões pertinentes e pelo Plenário
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.