colunista Natália Fernandes
Especialista em mídia digital e diretora de operações da MightyHive Brasil
Tecnologia

Inteligência Artificial na sua vida: do diagnóstico de câncer a modelos operacionais

Evolução dos sistemas passa por eletrodomésticos, previsões para pesquisas e performance empresarial
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Talvez você não tenha notado, mas a inteligência artificial (IA) está cada vez mais longe de ser apenas parte de um filme futurista do Steven Spielberg. Quem nunca adorou uma indicação do Spotify ou Youtube ou, ainda, sonhou com o aspirador de pó que faz tudo sozinho?

A IA está na nossa vida além do que imaginamos, sendo associada à capacidade que uma máquina possui de, a partir de experiências prévias, imitar capacidades da mente humana para tomada de decisão.

Inteligência artificial
A Inteligência Artificial está cada vez mais presente na nossa vida. Foto: unsplah

Vamos a um exemplo real em sua vida 

Tome um mecanismo de busca como Google, por exemplo. Assim que você começa a digitar no campo de busca o que deseja, já deve ter notado que o sistema prevê o termo de pesquisa completo e oferece um menu de sugestões para que você encontre mais rapidamente um resultado relevante.

Isso é feito com base nos termos que diversos usuários já digitaram e nas ações tomadas a partir daqueles resultados de busca. Assim, a cada vez que uma letra é digitada ou um clique feito, são capturadas informações que melhoram as previsões para pesquisas futuras. Qualquer ação realizada na página de resultados da pesquisa fornece dados úteis. Quanto mais pesquisas, melhores as previsões, e quanto melhores as previsões, mais o mecanismo de pesquisa é eficiente e passa a ser utilizado por mais pessoas. E assim se retroalimenta.

De forma ampla, a IA pode ser usada não apenas para indicar produtos mais adequados às necessidades que temos, mas está envolvida em outras diversas áreas, como por exemplo na saúde. Um programa de IA desenvolvido pelo Google se mostrou mais eficiente do que médicos em detecção do câncer de mama, ou ainda, com a evolução da internet das coisas, os eletrodomésticos inteligentes têm invadido as casas, coletando e processando dados para se tornarem ainda mais inteligentes em suas funções.

Black Mirror e liberdades individuais

À medida que a inteligência artificial se torna cada vez mais parte de nossas vidas é importante compreender os diferentes desdobramentos que seu uso pode ter.

Na China, por exemplo, desde 2014 é adotado um Sistema de Crédito Social que monitora o comportamento dos cidadãos, atribuindo pontos positivos e negativos e, com base em IA, associa uma “confiabilidade social” de cada um dos indivíduos. 

Aqueles que fumam em locais proibidos ou desrespeitam o trânsito, por exemplo, podem ter dificuldades na compra de passagens aéreas ou bloqueio ao acesso às linhas de crédito, dentre outras punições. 

Além do exemplo chinês, outros pontos de atenção são para máquinas que conseguem inferir padrões de emoções, visão política e até saúde, podendo replicar preconceitos ou estereótipos adquiridos dos seus modelos.

Assim, para que a sociedade possa usufruir deste tema, é necessário uma intensa conversa e conscientização sobre o tema, envolvendo experts de diferentes áreas como sociólogos, especialistas em direito e ética, que tornem a discussão rica e inclusiva para todos.

Oportunidades para empresas

Até aqui você já entendeu que dados são um elemento fundamental para a IA. Assim, o aumento da disponibilidade de grandes quantidades de dados e evolução dos sistemas que podem processá-los de forma mais rápida são exponenciais em nossa sociedade. 

Neste cenário, é difícil imaginar uma empresa que não tenha como uma de suas prioridades digitalizar seu modelo operacional buscando eficiência. Ao atrelar isso a análises que transformam dados internos e externos em escolhas, as empresas geram valor em um cenário hipercompetitivo.

Uma peça fundamental para que isso ocorra é a transformação digital que deve abranger toda a cultura organizacional, estando atrelada aos seus pilares mais estratégicos. 

É possível tomar proveito de muitas coisas que já tem avançado em Machine Learning, como clusterização de usuários ou predição de compras. Até que a IA atinja seus patamares mais avançados, profissionais capacitados e parceiros podem conduzir a jornada das empresas rumo à maturidade neste tema que vai muito além de uma mudança apenas em sua área técnica, alcançando lideranças e resultando em planos de ação sistêmicos e a longo prazo. 

Inscreva-se na newsletter
Relacionadas
Empresas fazem a diferença na pauta da diversidade e dão exemplos com ações afirmativas
Voltado para desenvolvedores, o F8 falou de soluções para negócios à realidade aumentada
Big tech adquiriu o estúdio da MGM por 8,45 bilhões de dólares nesta semana
Versão para menores de 13 anos está em desenvolvimento e levanta discussões sobre saúde mental infantil
Como a internet que conhecemos hoje está sendo repensada nesta disputa
Fragmentação da audiência com as plataformas de streaming redireciona investimentos dos anunciantes

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.