Imunização nacional

Avião com 2 milhões de doses da vacina de Oxford chega ao Brasil

Doses devem ser incorporadas ao Plano Nacional de Imunização nesta quarta-feira e distribuídas pelo país
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um avião transportando 2 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca aterrissou no Brasil no início da manhã desta terça-feira (23). A aeronave chegou no Aeroporto de Guarulhos e, após processos alfandegários, seguiu para o Rio de Janeiro, onde serão entregues à Fundação Oswaldo Cruz.

Na Fiocruz, os imunizantes passarão verificação, as quais compreendem conferência de temperatura e integridade da carga, etiquetação com informações em português, encaminhamento de amostras para análise de protocolo e liberação pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Lote da vacina de Oxford/AstraZeneca chega ao Brasil.
Lote da vacina de Oxford/AstraZeneca chega ao Brasil. Foto: Tânia Rego (Agência Brasil).

A previsão é de que as doses estejam concluídas na madrugada desta quarta-feira (24) e prontas para serem integradas ao Plano Nacional de Imunização.

Em São Paulo, o Instituto Butantan comunicou que entregará mais 3,4 milhões de doses da CoronaVac ainda nesta semana. A projeção inicial era produzir oito remessas diárias, que totalizariam 426 mil antivirais. Contudo, de acordo com o diretor da instituição, Dimas Covas, apenas nesta terça serão entregues cerca de 1,2 milhão de doses da CoronaVac para o Governo Federal.

Para o sábado (27), está prevista a concessão de mais dois lotes do ingrediente farmacêutico ativo (IFA), insumo suficiente para que a Fiocruz produza mais 2 milhões de doses.

Devido a atual falta de vacinas, diversas capitais suspenderam ou restringiram o programa de imunização. Entre elas estão Rio de Janeiro, Salvador, Cuiabá, Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, Florianópolis, Macapá e São Luís.

Butantan dobra a produção

As 1,2 milhão de doses da vacina CoronaVac que o Instituto Butantan vai repassar para o governo federal nesta terça fazem parte das 3,4 milhões de vacinas que serão distribuídas ao Ministério da Saúde nos próximos dias.

“Hoje é um dia importante para a história do Butantan. Mais um dia de luta, mais um dia de se entregar vacinas. Vamos entregar 1,2 milhão de vacinas ao nosso Ministério da Saúde. E não vamos parar, vamos continuar entregando”, afirmou Dimas Covas.

Ainda de acordo com o diretor, até o início do próximo mês, o instituto deve receber um novo lote de matéria-prima para a produção da vacina: “8,2 mil litros de insumo da vacina devem chegar até o dia 2 de março. Ao menos três milhões de doses poderão ser produzidos a partir do insumo”, completou.

Na semana passada, o Ministério da Saúde firmou um contrato com Butantan para providenciar 54 milhões de doses da Coronavac. O montante será adicionado às 46 milhões já adquiridas (totalizando 100 milhões a serem entregues até setembro) – na última sexta, a pasta enviou um ofício ao Instituto solicitando mais 30 milhões de doses.

“Nós vamos fazer todo o esforço para adiantar a produção e essa entrega e esperamos que, no máximo em agosto, tenhamos a entrega total de 100 milhões de doses”, disse Dimas Covas.

No início deste ano, o Butantan dobrou o número de funcionários que trabalham diariamente no envase da vacina (de 150 para 300). O diretor projeta ainda que a capacidade de envase da organização também possa dobrar a partir de abril, atingindo a finalização de até 2 milhões de doses por dia.

Relacionadas
Fome
Líder comunitário relata aumento na procura por alimentos com fim do auxílio emergencial e disparada do desemprego
Líderes religiosos
É a primeira viagem internacional do Sumo Pontífice desde o início da pandemia de covid-19
COVID-19
Diretor-geral da OMS pediu “medidas agressivas” para conter contaminação no Brasil e alertou que situação do país afeta nações vizinhas
Francisco é o primeiro pontífice na história a pisar em solo iraquiano.
Família Real
Princesas Elena e Cristina admitiram ter furado a fila da vacinação para visitar rei emérito, gerando críticas à monarquia
PANDEMIA NO BRASIL
Média móvel de mortes está acima de mil há 43 dias e desde o último sábado bate recordes diários

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.