balão MyNews Investe
Indicações de aplicações financeiras pelos convidados do programa
ibovespa

Cenário político traz volatilidade à bolsa brasileira

Bolsa inicia a semana com alta, depois de fechamento com forte queda na semana anterior. Filipe Villegas, da Genial Investimentos, analisa o cenário
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A semana passada não foi muito boa para a Bolsa de Valores brasileira, a Ibovespa. Na última sexta-feira (10), a queda acumulada de uma semana mais curta e politicamente turbulenta, foi de 2,26%, chegando aos 114.285,93 pontos. Já nesta segunda-feira (13), a bolsa brasileira abriu com forte alta, puxada pelo bom momento em bolsas do exterior mantendo alta de quase 2%.

O MyNews Investe conversou com Filipe Villegas, estrategista da Genial Investimentos, que comentou sobre o momento que passamos na Ibovespa, se esse pode ser considerado um bom momento para investir e se é possível fazer uma previsão de como a bolsa pode se comportar neste mês de setembro.

bolsa de valores índices
Bolsa tem sofrido com instabilidade política do país e cenário deve seguir dessa forma até 2022

“O que pressionou em muito a bolsa e que vem pressionando desde meados de julho é a dificuldade de mercado de enxergar possibilidades sobre o andamento da agenda de reformas e um compromisso fiscal, e se espera que essa semana algumas destas respostas surjam para o mercado e que isso possa sem sombra de dúvida trazer um pouquinho de alívio. Nessa semana, olhando para Brasília, a gente tem uma agenda super importante com as discussões sobre a PEC dos precatórios, e novamente a discussão sobre a reforma administrativa”, argumenta Villegas.

Mesmo com essa situação considerada difícil para a economia do país, muitos investidores ainda acham oportunidades na dificuldade. Investidores estrangeiros que tinham saído da bolsa brasileira estão voltando e em setembro já somam R$ 500 milhões no ano, com saldo positivo de 47 milhões.

O estrategista da Genial avalia esse retorno do investidor estrangeiro com certo receio, já que o mercado ainda está oscilando muito. “Acho que o investidor estrangeiro tem comprado bolsa brasileira nesses atuais níveis, entre mais ou menos ali 120 a 115 mil pontos. Não tem jeito, se algum investidor está saindo, outro está entrando. Nas últimas semanas, a gente viu uma saída muito forte do investidor institucional, que são os fundos de investimento. Esse investidor estrangeiro que fez a alocação em bolsa brasileira, a princípio é um pouco mais especulativo, de estar enxergando ali oportunidades de uma valorização, alguma correção dos mercados frente a essas quedas que nós tivemos recentemente. Mas eu acho que ainda é muito cedo para a gente afirmar que realmente esse investidor veio para uma alocação de mais longo prazo”.

Quanto ao cenário para setembro e para uma previsão para o final do ano e para 2022, Villegas analisa que as oscilações devem continuar, por conta do cenário político que o país tem atualmente. 

“A dificuldade que a gente tem hoje em precificar cenário político em 2021 é porque ano que vem é ano eleitoral, então as eleições no Brasil são realmente um tema que deixa de trazer investidores. Enfim, um cenário ainda de bastante volatilidade. Mas, vamos ver o que nos aguarda. Acho que os IPOs que vimos recentemente mostram a capacidade e as oportunidades que o Brasil oferece tanto para investidor local, quanto para o investidor internacional. O que a gente precisa é simples na teoria, talvez difícil de colocar em prática, que é previsibilidade”.

Veja a íntegra do MyNews Investe, no Canal MyNews. Sempre com temas interessantes sobre mercado financeiro e economia

Relacionadas
CONSTRUÇÃO CIVIL
Dúvida sobre solidez da Evergrande faz alguns analistas preverem redução na expectativa de crescimento do mercado imobiliário e de construção na China de até 50%
fundo de ações
Apesar do pouco tempo de atividade, fundo de ação já capitaliza uma rentabilidade superior a 7%, mesmo com as recentes quedas da bolsa
APOSENTADORIA
O advogado Flávio Perón explica que é necessário, além da documentação, comprovar uma renda mínima, para morar legalmente em Portugal
inflação
Alta da inflação para classes mais pobres foi impulsionada principalmente pelo grupo de alimentação
BRASIL
Segundo instituição, PIB apresentou segundo mês seguido de alta, mas crescimento está desacelerando. Entre o G-20, Brasil tem o terceiro pior desempenho
inflação
Arnaldo Curvello, sócio-diretor da Galápagos fala sobre os melhores investimentos em tempos de aumento de preços de bens e serviços
Inscreva-se na newsletter

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.